sexta-feira, 30 de maio de 2014




Um
       Eram dois, sempre o foram; porém feitos para serem um. Não sabiam disso, no entanto. Então, seguiam como dois, distintos e irreconhecíveis.
      Um dia, numa dessas esquinas que a vida, faceira e inquieta, insiste em colocar à nossa frente, encontraram-se.
       E eis que o mistério da unicidade se concretizou, envolvendo-os numa assustadora percepção que instantaneamente os acometeu: eram incompletos, existentes pela metade, e tudo o que os tornaria plenos estava bem ali, naquele outro incompleto à sua frente, espelho par que o mirava.
        Deram-se as mãos e miraram-se profundamente. Os dois corações ritmados e completos. As duas mentes plenas, finalmente. Respiração e emoção, alegria e pensamento, sorrisos, vida, expectativas, tudo fundido num só. Estavam, enfim, prontos para se tornarem aquilo para o que foram criados: um. Apenas um.

6 comentários:

  1. Bom saber que você gostou, Sarita! Volte sempre! Beijão!

    ResponderExcluir
  2. Patrícia Moraes30 de maio de 2014 10:18

    Lindooooo, sou fã!

    ResponderExcluir
  3. Bom saber que você gostou, Patrícia!! Volte sempre! Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Mais uma página para nos honrar a leitura e a reflexão. Parabéns, Simone! É simplesmente profundo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, meu amigo, por passar aqui, ler e comentar. Obrigada por fazer parte de minha vida. Sinto falta de conviver com você. Beijo grande!

      Excluir